SINTONIA . CONHECIMENTO DIRETO . CELEBRAÇÃO fortalecimento interno . consciência . integração . agni@agni-ec.com.br


domingo, 20 de abril de 2014

VIVENDO O PAI NOSSO
visão trazida pelo ‘amigo espiritual Joaquim’

“Dá-nos hoje o alimento que precisamos”.
Se você vive em oração sabe que o alimento que abastece diariamente a sua mesa não é conquistado pelo seu poder monetário, mas provem de Deus. Seja uma mesa farta ou um cardápio minguado, todo alimento que sustenta o corpo físico é dado por Deus visando a elevação espiritual de cada um.
Quando falamos em alimento não devemos nos ater apenas a comida, mas tudo aquilo que alimenta o corpo físico. Aí devemos incluir as posses materiais, os bens, as roupas. Enfim, todos os elementos materiais que um ser tem a sua disposição são dados pelo Pai.
Porque, então, alguns têm muito e outros pouco? Porque existem seres que vivem no fausto e outros passam necessidade? A resposta a essas perguntas é a Justiça Suprema e o Amor Sublime.
Para dar a cada filho o que ele necessita para a sua existência, Deus age visando colocar à sua disposição instrumentos que sirvam para a realização das provas individuais. Se o espírito necessitar vencer o excesso, ter sentimentos que promovam a universalização dos bens materiais, Deus disporá ao ser grande quantidade. No entanto, se a sua prova for aprender a receber, Deus promoverá a penúria. Somente com a dependência o ser aprenderá essa lição.
Dessa forma, não há governo responsável pela fome, mas Deus que dá a cada um de acordo com a sua necessidade. Os governantes que não promovem a justiça social são apenas instrumento de Deus para promover a Justiça divina. Também não há patrão explorador, que remunere mal seu empregado: apenas instrumentos para a vontade de Deus.
Além do mais, se Deus é o Senhor do universo, a empresa não é do ser humano, mas propriedade de Deus emprestada como instrumento de prova. Se você está trabalhando nela é porque o real patrão (Deus) o escolheu e ali colocou, pois é o que você necessita para receber o maior salário que pode existir: o amor divino.
Os sentimentos são alimentos para o espírito. Assim, quando Cristo nos ensina que devemos viver com a crença de que Deus nos dá todos os alimentos, também o amor nos será dado pelo Pai. Ninguém pode lhe dar sentimento algum a não ser Deus.
Aquele que imagina que o filho, o esposo, a mulher ou o amigo pode lhe dar sentimentos apenas reza e não vive em oração. Quem depende de um ser humano para se sentir amado é porque ainda não encontrou a Fonte universal dos sentimentos: Deus.
O Pai enviará os sentimentos (alimento) ao filho de acordo com o seu merecimento. Trata-se de uma forma de pagamento pelos trabalhos prestados. Aquele que vive em um mundo onde Deus é a Causa Primária de todas as coisas receberá um salário maior, mas aquele que vive em um mundo onde o próximo é o seu inimigo, causador de sua infelicidade, receberá um salário compatível com a sua produção.
Quando se vive em oração, pedindo a Deus que proporcione o alimento necessário para a existência, volta-se na busca de render mais para Deus. Esses terão supridas as suas necessidades, mesmo que nada possuam. Mas, quando se vive imaginando que é capaz de conquistar o alimento, a vida não proverá as necessidades de cada um, por mais que tenha.
Portanto, você deve buscar viver em harmonia com o universo, agindo exclusivamente com o amor universal, para que receba todos os alimentos que lhe sustentará. Apenas dizer essas palavras não garantirá o sustento.

 MAIS...

Nenhum comentário:

Postar um comentário