SINTONIA . CONHECIMENTO DIRETO . CELEBRAÇÃO fortalecimento interno . consciência . integração . agni@agni-ec.com.br


domingo, 20 de abril de 2014

VIVENDO O PAI NOSSO
visão trazida pelo ‘amigo espiritual Joaquim’

“… que estás no céu”,
O céu não é um lugar físico, mas um estado de espírito. Quem está no céu é aquele que por só utilizar sentimentos positivos, alcança a felicidade universal. Portanto, quem está no céu é aquele que reage a todos os acontecimentos com o amor universal.
Cristo ensina nesta oração que você tem um Pai que é repleto de amor para dar. Não adianta dizer estas palavras, mas sim viver com esta verdade.
Assim sendo, Deus não pode causar mal (situações de sofrimento) para você ou para qualquer um. Se Ele é o Pai, o Comandante de todas coisas, todas as situações estão embasadas no amor: este deve ser o seu entendimento sobre as coisas da vida. De que adianta rezar se vive achando que existem coisas que são más, que lhe causam sofrimento? Você diz que o Pai está no céu, mas age de forma como se Ele estivesse no inferno, que fosse capaz de gerar sentimentos negativos.
Na verdade é você quem julga que as coisas são erradas porque elas não satisfazem os seus desejos. Mas, você não é o dono do mundo, o Pai da família, como então quer dizer como as coisas devem ser nesta casa?
O pai biológico não faz tudo o que o filho quer, mas sempre pensa no que é melhor para o seu futuro quando o guia. Da mesma forma, Deus não provê o que você acha melhor (satisfatório), mas lhe dá o que precisa para aprender e evoluir-se espiritualmente.
A vida humana é igual à vida espiritual: o problema é saber quem é o pai e quem é o filho.
É isto que Cristo está ensinando. Orientando cada um a viver sua existência com a consciência de que tudo que acontece na vida foi o Pai que determinou que fosse daquela maneira e que é o melhor para o espírito.
Orar não é viver com as mãos postas o dia inteiro, mas alcançar a consciência que esta é a casa de Deus, que moramos nela e que Ele é nosso Pai. Saber que esta casa tem como fundamento a vivência do amor universal entre o Pai e os filhos e que, portanto, tudo que acontece objetiva a sua felicidade e não punição. Viver com a consciência da transitoriedade dessa vida e que ela é apenas uma parcela de tempo da existência infinita do ser.
Tudo que lhe acontece foi providenciado por Deus pensando nessa existência infinita.
MAIS... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário