SINTONIA . CONHECIMENTO DIRETO . CELEBRAÇÃO fortalecimento interno . consciência . integração . agni@agni-ec.com.br


sábado, 27 de dezembro de 2014

A PALAVRA QUE SINTONIZA COMO FERRAMENTA DE CURA
YACO ALBALA

Pergunta:
Venho percebendo e sentindo cada vez mais o poder da palavra como instrumento de cura, de criação. O senhor tem falado da palavra que descongestiona, da palavra que expressa e do grande poder da palavra que sintoniza. Então eu pergunto: como relembrar, como ativar esta palavra que sintoniza, de forma que ela possa ser usada como palavra que cura, que liberta, palavra de amor?
Yaco:
Que tema, não!
O Cristo usou muito o mecanismo da palavra. Talvez tenha sido sua principal arma. Mas o que expressava esta palavra?
Muitas vezes temos falado que há uma palavra que descongestiona, cai esta palavra, se precipita. Há outra que expressa. Há outra que sintoniza.
Os essênios sabiam muito acerca do dom da palavra. Eu creio que parte dessa elevada disciplina começa em saber que corpo, que lugar do nosso interior é quem está falando: está falando nossa parte física, nossa emoção, está falando a mente, está falando o espírito...
Qual desses é que está falando?
Podemos reconhecer de onde vem a palavra, de onde procede, quem é o que fala realmente? Poderíamos identificar  isso?
A ciência da palavra é uma ciência elevadíssima que oportunamente seguirá conhecendo ou se irá revelando este mistério.
Pode ser estudado o dom da palavra através dos corpos internos; também através dos chakras...É curioso tudo isto...
Podemos imaginar qual é a situação destes chakras quando uma palavra está curando, quando uma palavra está iluminando? É curioso isto... Seria interessantíssimo fazer do dom da palavra uma enorme ciência.
Por isso dizemos que os essênios sabiam muito acerca do dom da palavra, curavam por intermédio da palavra. Era como que obrigassem os elementos da natureza a que se agrupassem e curassem. Quer dizer que o ser humano podia se curar pelo que dizia. Curioso isso...
Podemos fazer disto uma disciplina? Creio que tudo isto começa quando o ser humano pode ver esta diferença. Quando a palavra o descongestiona, o expressa, o sintoniza. Creio que diferenciar estas três vertentes, estas três disciplinas seria um pouco o começo.
Logo poderíamos seguir com os corpos internos, os chakras, seria maravilhoso...
a palavra finalmente seria um ásana diante do verbo. É uma disciplina muito elevada. É uma disciplina própria do terceiro milênio.
Poderemos curar com a nossa  palavra? Poderemos encantar com a nossa palavra? Pode a palavra encantar? Claro que sim! Seguramente que sim! Poderemos fazê-lo? Eu creio que sim! Está em nós todos esta imensa possibilidade! Eu creio que podemos brindar uma enorme esperança com a palavra!
Mas o que seria o que argumenta neste momento a palavra? Está como que concedendo uma herança àquele que escuta, que oportunamente saberá usá-la! Foi a palavra    que criou tudo isto!
Seria bom chegar a fazer como que uma espécie de seminário sobre “O Mistério da Palavra” e poder falar de outra maneira...
Poder iluminar! Poder curar! E vá se saber ainda quantas coisas mais... Poderemos fazê-lo?
O homem não se contamina pelo que chega a ele, senão pelo que sai dele!
Quer dizer que essa palavra pode se usar indistintamente. Pode provocar todo um carma ou pode ser a maior esperança do gênero humano.
Podemos usá-la desta maneira?
Podemos bendizer com a palavra?
Oxalá possamos fazê-lo!
Eu creio que uma das tantas ciências por excelência que esperam pelo homem. O milagre e o mistério da palavra...
Cristo dizia ‘passará o céu e a terra e minhas palavras não passarão’...
Disse que estão mais além da criação mesma e é como que habitassem uma zona que não gravita e não se precipita. Pois se o ser humano quer exercitar o dom da palavra e ele fosse o representante, teria que chegar a esta zona...
Começar a viver ainda que fosse minimamente, em tudo o que não gravita, em todo o ingravitável, daria posse a esta palavra; e vá se saber a quantas outras se poderia chegar ou obter...
Poderíamos fazer isto? Poderíamos aprender a falar? Ele falou messianicamente. Poderíamos chegar a começar a conhecer o que pode ser a linguagem messiânica? Poderíamos saber algo de tudo isto? Eu creio que sim!
Sempre foi comentado que há uma enorme diferença entre um profeta e um messias. O profeta anuncia as coisas por chegar. O Messias traz  a energia deste mundo diferente. Cristo trouxe a energia de todas as coisas que estão por chegar. As trouxe com sua própria palavra. Com sua própria presença.
Poderemos imitá-lo? Poderemos saber de tudo isto? Há um livro muito bom que se chama ‘A Imitação de Cristo’ de Thomas de Kemps, seria bom lê-lo. Porque ali está muito o dom da palavra.
Eu creio que quem pode pronunciar com exatidão, se faz também um profeta, se assim pudesse pronunciar todas as profecias....
Diz-se que todas as profecias relatadas com exatidão, pronunciadas com exatidão, fazem do ser humano também um profeta.
As profecias não foram somente para que sejam lidas, escutadas ou coisa parecida.... Senão para se possa viver a energia da Profecia e que se possa transformar também num pequeno profeta...
A leitura de uma profecia num determinado nível, faz a figura de um profeta...
Poderemos fazer tudo isto? Está em nós!
Te agradeço....


Nenhum comentário:

Postar um comentário