SINTONIA . CONHECIMENTO DIRETO . CELEBRAÇÃO fortalecimento interno . consciência . integração . agni@agni-ec.com.br


sábado, 12 de outubro de 2013

LIVRE PARA VIVER

onde está  minha atenção, está meu coração.
é pela minha atenção que discrimino dentro do mundo dos sentidos e focalizo naquilo que desejo perceber.
é pela minha atenção, que vou sendo capturado e recebo as informações que, se as valido, se as confirmo, vão formando a base de crenças sobre a qual assento minha forma de ver e pensar a respeito da realidade. Estes ‘conceitos’ e ‘verdades’ vão se assentando e normatizando cada vez de forma mais rígida.
dai a importância do discernimento na validação das informações que recebo.
quanto menos informações validadas, quanto menos ‘verdades absolutas’ validadas,  mais livre poderei ser. 
portanto, o mecanismo do ‘NÃO SEI’  é uma excelente maneira de me manter ‘liberto’ de crenças e ‘memórias’ que posteriormente  agem como ‘normas’ sobre a forma de eu agir e pensar. 
o ‘NÃO SEI’ tira de mim mesmo a convicção que eu tenho sobre as coisas. 
o “NÃO SEI’ diz assim: ‘pode ser que sim’, ‘pode ser que não’, ‘não sei’.
os motivos para eu repetir um sistema de crenças são muitos, mas principalmente por necessidade de reconhecimento  ( quando repito a crença proposta , sou acolhido e aplaudido... e isto é muito bom...) e por medo ( se nego a crença proposta posso ser punido...e isso é mau..). 
este mecanismo faz com que eu comece ‘a fingir’ ser algo que não sou  ( sem nem procurar saber quem sou de verdade) e agir de acordo ‘com o padrão’.
mas neste mundo não existem verdades absolutas. apenas verdades relativas. e eu só posso considerar aquelas que são válidas para mim. 
a verdade do outro poderá ser outra. tão válida como a minha. portanto nenhuma verdade é um argumento real para ser o norte da minha vida. poderá ser ou poderá não ser...
livre, eu posso viver a vida naquilo que ela apresentar no agora...sem discutir com a vida querendo provar que aquilo está certo ou errado...mas para conseguir ‘estar presente na vida’ meeesmo, eu preciso suplantar estes saberes, vindos de onde vierem...
para viver a vida sem deixar o pensamento querer interpretar o que está sendo vivido... mas apenas viver...viver o presente, pelo presente, no presente....sem medo nem expectativa...
que simplicidade e que complexidade!
viver apenas, sem considerar que aquilo que eu vivo é o certo
será possível isto?

é experimentar para conhecer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário