SINTONIA . CONHECIMENTO DIRETO . CELEBRAÇÃO fortalecimento interno . consciência . integração . agni@agni-ec.com.br


terça-feira, 16 de julho de 2013

A RESISTÊNCIA EM FAZER O QUE EU NÃO QUERO! 
Fluir com a vida, é viver em paz e harmonia com o que a vida propõe a cada agora para ser vivido.
Sem resistir, sem atritar, sem sofrer...
É possível isto?
Para aquele que opta por, tudo é processo de consciência...
Portanto é gradativo. É ‘entrar na eclusa’ e se acumular de desapego e de concórdia. Para quem sabe um dia, naturalmente, sair da eclusa para este outro nível de viver...ou não...sempre de acordo como for...
Mas, como todo processo, à medida em que você se abre para ele, ele mesmo vai lhe entregando elementos que o inserem mais ainda no processo. Seja através da integração ou da rejeição...Seja pacificando seu coração, seja revelando sua intransigência e pretensa prepotência.
De qualquer forma, sempre a atenção, a consciência é e deve ser o eixo condutor.
Atenção aos hábitos. Muitas vezes são reações mecânicas fruto de anos de repetição, sem verdade, sem consciência. Quando você vê já foi, já agiu de uma maneira que não procede...e aí? só resta atestar...colocar  consciência e seguir em frente...retomar o centro. Sem culpa, sem raiva, se aceitando e se acolhendo naquilo que se é...
Este processo do fluir com vida, se entregando a ela, e eliminando a resistência, tirando os ‘eu quero’, ‘eu gosto’, ‘eu sei’, é um processo que exige um trabalho sobre si. Então primeiro é preciso optar por querer fazer este trabalho. E fazê-lo. Mas como?
Desenvolvendo a atenção sobre si e sobre suas circunstâncias que sempre lhe são reveladores de si mesmo.
Aprendendo a contemplar a natureza verdadeira das coisas e não ficando apenas na superfície, na ilusão aparente.
Colocando-se numa posição de boa vontade em relação aos outros e aos assuntos dos outros é um bom começo.
Não apenas não querendo o mal, mas procurando olhar os outros com amor, alegria, equanimidade (igualdade na diferença, no direito de ter verdades diferentes e poder viver de acordo com elas). 
Procurando ter uma fala construtiva, harmoniosa, conciliadora, verdadeira.
Promover a vida e praticar a generosidade pode ser uma chave excelente neste processo do desapego de seus próprios ‘quereres’ e no encontro mais limpo com o fluir da vida.

Afinal, como sempre, é bom lembrar que acima de todas as aparentes necessidades, compromissos, 'saberes e quereres', tudo e só o que temos a fazer, é viver a nossa vida que temos pra viver na paz e na serenidade!

Será possível? talvez sim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário